Início » Abrolhos » Parque nacional

Parque nacional

O Parque Nacional Marinho de Abrolhos está localizado no litoral sul do estado da Bahia, no arquipélago de Abrolhos, entre as coordenadas geográficas 17º25’ a 18º09’ S e 38º33’ a 39º05’ W.

Os PARNA – Parques Nacionais, foram criados com a finalidade de preservar atributos excepcionais da natureza, conciliando a proteção integral da flora e fauna e das belezas naturais, com a utilização para fins educacionais, recreativos ou científicos, sendo neles proibida qualquer forma de exploração dos recursos naturais.

O O parque está assentado sobre cinco formações rochosas: as ilhas de Santa Bárbara, Siriba, Redonda, Sueste e Guarita. Dispostas em arco, por serem provavelmente restos da borda de uma cratera vulcânica, essas formações rochosas abrigam um dos maiores, mais raros e exuberantes recifes de coral do Atlântico Sul. Além das ilhas, o parque comporta também o Parcel dos Abrolhos e o Recife dos Timbebas.

Foi o primeiro parque nacional do Brasil, criado pelo decreto n° 88.218, de 6 de abril de 1983. É administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

No território de 16 hectares na Praia do Kitongo, município de Caravelas, estão suas quatro unidades imobiliárias: a sede administrativa, a sede do Projeto Baleia Jubarte, uma garagem para embarcações e o centro de visitantes, que recebe maior fluxo de turistas no verão. O parque não conta com infraestrutura para acomodação de visitantes.

 

 

Recifes das Timbebas

Os recifes das Timbebas fazem parte do Parque Nacional Marinho de Abrolhos. Com uma área de 190 km², é o principal ponto de mergulho e perfeito para quem quer apreciar um passeio no mar. Composta por uma rica fauna marinha de corais negros e grandes colônias de coral fogo de até três metros de diâmetro, possui uma forma particular de crescimento de recife de corais que não tem similar no mundo. No período de julho a novembro, é possível observar famílias inteiras de baleias Jubarte, que no seu percurso passam pelos recifes de Timbebas e ali permanecem para procriar e alimentar os filhotes.  Estão também submersos no local os destroços do antigo farol de sinalização.